Resenha literária: RAIO DE SOL #1, de Kim Holden

Outro PlanetaFicção/New Adult

 “Seu novo lema é: faça épico.”

 “Sorrisos não são sempre felizes, mas o dela é. É aberto, satisfeito e confiante. Ela parece simpática no sentido mais literal da palavra, como se você pudesse jurar que a conhece há anos e que ela sabe todos os seus segredos. E que ainda gosta de você apesar disso.”

 

Raio de Sol é o típico livro para marcar o seu ano – possivelmente, a sua vida! É um livro grosso, mas de uma leitura tão fluida que, quando você parar pra pensar, já acabou de ler e está desejando mais. Para quem ficou (ou ficará) com essa sensação, a boa notícia é que Raio de Sol é uma duologia e o segundo livro deve ser lançado em português em breve.

 

“O chique esconde muito, enquanto o simples mostra tudo sem tentar justificar.”

 

“Arrependimentos só servem para imaginarmos alternativas e sentirmos raiva e tristeza, e não posso me dar ao luxo de nada disso.”

 

Eu estava ansiosíssima para ler Raio de Sol e posso garantir que só me surpreendi positivamente. É um livro profundo com uma abordagem muito peculiar que proporciona tanto entretenimento quanto reflexão.

 

“Você só tem uma vida para viver. Imagine por um momento que está livre de todas as expectativas na sua vida. O que você faria? Como viveria sua vida se ninguém estivesse olhando? Como seria o seu futuro?”

 

O livro é narrado por dois personagens, a Kate e o Keller. A Kate é a garota cujo codinome é Raio de Sol. Esse apelido lhe foi dado por seu melhor amigo da vida inteira, Gus, e ele continua a chamando apenas assim. Keller é introduzido ao longo dos capítulos através da perspectiva da Kate e logo passa a ter a sua própria voz.

 

“Ouço o amor na voz dela. Meu coração fica feliz quando as pessoas sentem esse tipo de amor. É raro. As pessoas não dedicam tempo a encontrar algo assim. Ou deixam escapar com facilidade ou não sabem o quanto é precioso quando o têm.”

 

Kate é uma garota que está saindo da sua zona de conforto (pouquíssimo confortável, na verdade) para começar a faculdade em outra cidade, outro estado. Muitos mistérios cercam a origem, a vida e o destino de Kate e pistas destes acontecimentos vão sendo entregues ao longo da narrativa. De cara, é preciso saber que Kate tem uma bagagem imensa, uma vida na qual caberia umas 10 vidas. É um grande quebra-cabeças para chegar até a imagem final, com perspectiva plena, mas não temam a agonia, ela é fundamental para a gente conhecer cada lado da personagem a seu devido tempo.

 

“Ela é um exemplo de positividade. É toda raio de sol. Ela não só vê o lado bom das coisas… ela mora lá.”

 

Tudo que a Kate passa e que torna a Kate um verdadeiro Raio de Sol é como fogo provando o ouro. Ela é realmente um ser humano diferenciado, e achei muito interessante o fato de, apesar de extraordinária e manter sempre uma concepção positiva das coisas, ela não ser retratada como uma ‘santa’. Nós conhecemos seus sentimentos, suas dores, suas mágoas o suficiente para perceber que ela é quem é porque escolhe ser assim. Não necessariamente é algo fácil, mas a Kate mostra através do seu exemplo que é possível.

 

“Na hora que você pensa que conhece alguém, essa pessoa muda. Ou você muda. Ou os dois mudam. E isso muda tudo.”

 

Esse livro me marcou muito positivamente. Ele me levou às lágrimas, me lavou a alma e deixou uma mensagem muito positiva para mim. Alguns pontos altos são, por exemplo, a relação da Kate com o Gus. Em alguns momentos, parece que tudo vai descambar para o velho e bom clichê (não que eu esteja reclamando, todo mundo sabe que eu curto um clichê), mas a relação deles é tão única, forte e linda. Inspiradora. Eu não vejo a hora de conhecer mais da história pela perspectiva do Gus, que vai estar retratada na segunda parte da duologia.

 

“Acho que todo mundo tem definições diferentes de príncipe encantado. A minha definição se baseia mais em substância e personalidade. Pode me chamar de maluca.”

 

“Não posso surfar, então corro. Lembro a mim mesma que a dor nos meus músculos exaustos não é dor, é vida. E a vida é divina. Todos os dias, todos os minutos, todos os segundos.”

 

Através da relação com o Gus, também, tem a questão da música. De como ela é quase uma personagem do livro. Gus tem uma banda e ele e Kate estudaram numa escola artística, então, a presença musical no livro é muito forte e deliciosa.

 

“Adoro criar uma ligação com as pessoas por meio da música, principalmente quando posso apresentar músicas novas que as pessoas nunca ouviram. Descobrir uma coisa nova é como magia. A música está no mundo para ser ouvida, e sou da opinião de que o maior número de pessoas devia ouvir. De tudo. Porque música é uma coisa poderosa. Conecta as pessoas.”

 

Outra coisa que amei é a maneira como Kate consegue tocar a vida das pessoas com naturalidade e sensibilidade, o modo como ela se aproxima de Clay e Shelly, bem como de Peter e Romero, é tão bacana. Ela é tão ela mesma e uma presença tão marcante, tão forte. Acho que Kate, dentre tantas coisas que ensina, marca principalmente pela simplicidade do ser. Do estar presente, íntegra. Do viver o momento e não perder oportunidades, seja de falar, de sentir, de tocar outra vida. Enfim, ela é fantástica.

 

“Sempre fui boa em aceitar as pessoas por inteiro, o bom e o ruim. Vejo tudo, mas tento não deixar o ruim atrapalhar minha avaliação. As pessoas são complicadas. A vida é complicada.”

 

 

“Sei que é estranho, mas gosto de pensar em Deus como meu amigo. Não sou religiosa; só falo com ele com frequência. Peço muitos favores. Às vezes, as coisas funcionam ao meu favor, e às vezes, não. É a vida. A gente só precisa aproveitar ao máximo.”

 

Além desses, claro, a relação que a Kate desenvolve com o Keller, a maneira como a amizade dela transforma a vida dele é sensacional de testemunhar.

 

“Tenho uma implicância com pessoas que fazem mal ao próprio corpo. Muitas pessoas dariam qualquer coisa por um corpo saudável. Seu corpo é um templo. Não se caga no templo.”

O livro não se limita a uma frente apenas, ele entretém enquanto imprime lições de caráter, amor, respeito, empatia e solidariedade, fazendo você querer também ser, pelo menos um pouco, raio de sol na vida dos seus depois de absorver toda luz emanada pela Kate.

Estou tentando, como sempre, fazer uma resenha sem spoilers, mas, sem adentrar os tópicos específicos, gostaria de adiantar que esse é um livro pra se emocionar – e muito. Então, não digam que não avisei!

“Sinceramente, tento não pensar demais no futuro. Sou uma grande fã do presente.”

 

 

“Não estou dizendo que você não deva seguir seus sonhos e objetivos. Só não deixe o presente de lado por um futuro desconhecido. Muitas felicidades são deixadas para trás, ignoradas ou adiadas para um momento que pode não chegar nunca.”

Eu poderia dar uma nota ainda melhor que 4,7/5 para Raio de Sol, porém, não darei porque houve algumas coisas na narrativa que achei mal resolvidas, apressadas, talvez, e mal explicadas no sentido de “precisamos chegar a esse ponto, mantendo esse sentimento e/ou clímax e não sabemos como, então vamos assim mesmo”. Não é uma coisa que se estende ao longo do livro, enfatizo. É algo que acontece em um ou dois plots, mas que me incomodaram um pouco e, por isso, a ressalva. PORÉM, POR FAVOR, nada disso desmerece a qualidade da narrativa, que é verdadeiramente linda e brilhante, portanto, se joguem na leitura!

Esse livro fez parte de uma leitura conjunta com minha amiga, Alana (instagram literário: @alanamoura__), no que estamos chamando carinhosamente de “Clube do Livro de Nós Duas”, rs, tendo em vista que temos gostos parecidos e queríamos ler pelo menos um livro simultaneamente por mês para debatermos sobre ele em tempo real. Foi muito legal e fica a dica para quem tem amigos leitores que curtem um debate saudável, é sempre bom e faz a gente expandir os horizontes das nossas, muitas vezes, limitadas visões.

 

“Sei que você está triste agora. Sinta a dor, mas não se agarre a ela. A dor sufoca a vida. Deixe que passe. Se lembre de mim e fique feliz. Você tem uma vida incrível pela frente. Aproveite ao máximo cada minuto. Começando agora.”

 

               É isso então, fica a dica pra vocês, espero que gostem! <3

Beijos e até mais! 😉

 

 

Nota no Skoob: 4,6/5

Nota no GoodReads: 4,46/5

Nota no Orelha de Livro: 5/5

MINHA Nota: 4,7/5

Resumo oficial:

“Segredos.
Todo mundo tem um.

Alguns são maiores que os outros.

Alguns, quando revelados,

Podem curar você…

E outros podem acabar com você.

Faça épico, costuma dizer Kate Sedgwick quando quer estimular alguém a dar o melhor de si. Nascida numa família-problema, com direito a mortes e abandono, a garota de dezenove anos sempre buscou fazer a diferença. Em vez de passar os dias lamentando os infortúnios da vida, como tantos fariam em seu lugar, sempre vê as coisas pelo lado positivo não é por outro motivo que Gus, seu melhor amigo, a chama de Raio de Sol.

E é por isso que, quando passa na faculdade e se muda da ensolarada San Diego, na Califórnia, para a fria cidade de Grant, em Minnesota, ela leva consigo apenas boas lembranças e perspectivas. O que ela não espera é que será surpreendida pelo amor único aspecto da vida em relação ao qual nunca quis ser otimista ao conhecer Keller Banks, um rapaz que parece corresponder aos seus sentimentos. Acontece que tanto ele quanto ela têm um segredo. E segredos, às vezes, podem mudar tudo.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *