Resenha literária: OS BONS SEGREDOS, de Sarah Dessen

Editora Seguinte   |  Ficção/Jovem Adulto

 

“Ninguém era capaz de saber o que viria adiante; o futuro era a única coisa que jamais poderia ser destruída, porque ainda não tivera chance de existir. Num minuto, você está andando sozinha pelo bosque escuto; noutro, a paisagem muda, e você enxerga. Enxerga algo maravilhoso e inesperado, quase mágico, que jamais teria encontrado se não tivesse seguido em frente. Como uma nova amizade que parece antiga, uma lembrança que nunca vai esquecer. Talvez até um carrossel.”

 

Olha, gente, para começar: Definições de muito amor atualizadas! A fangirl que habita em mim não poderia deixar de ressaltar que, sim, depois de muito tempo apenas ouvindo falar, finalmente conheci Sarah Dessen e já não quero mais largar dela nunca mais nessa minha vida. Estou encantada com a escrita de Sarah, a consistência do enredo elaborado por ela e a delicadeza com a qual construiu essa história. Prova disso é que eu já tinha dois livros dela na estante esperando para serem lidos, mas já tratei de comprar os outros lançados em português e os que não tem em português, já baixei em inglês no Kindle. Ou seja: GARREI amor mesmo. <3

“Estava acostumada a ser invisível. As pessoas raramente me viam e, se viam, nunca olhavam de perto. Eu não era radiante e encantadora como meu irmão, linda e graciosa como a minha mãe, ou inteligente e dinâmica como as minhas amigas. Mas essa é a questão. Você sempre acha que quer ser notada. Até ser notada.”

Okay, rasgação de seda à parte, “Os bons segredos” é um livro jovem adulto que executa muito bem o que se propõe, pois conta uma história verossímil do universo de uma jovem de 17 anos e seus conflitos existenciais e familiares com muita propriedade e delicadeza, proporcionando ao leitor tempo de processamento suficiente para apreciar todas as sensações e também ser impactado por elas.

Confesso que comecei a leitura meio amuada. Num primeiro momento, gostei da escrita de Sarah, mas tive a impressão de que toda história já havia sido contada na orelha do livro e nos primeiros capítulos, deduzi que não haveria nada de muito surpreendente pela frente e que eu tinha mais umas 200 páginas de vários nada em seguida. Porém, de fato, essa não é uma leitura para te arrebatar, para fazer o coração parar, para fechar o livro de vez e ficar olhando para o nada, essas coisas, mas a história é tão cotidiana, tão simples, tão verdadeira, e tão, tão intensa, que quando você pensa em começar a resmungar, você já foi tragado para aquele universo e está ali experimentando todos os sentimentos e emoções conflituosas de Sydney, a protagonista, que é também a narradora.

Como conta a sinopse, Sydney é a segunda filha de um casal financeiramente bem-sucedido, vive no seio de uma família tradicional, até que seu irmão mais velho – e menino de ouro da família – começa a ‘mudar’ e apontar novos caminhos, nada bons, digamos assim, para sua existência. Depois de vários incidentes causados por Peyton e muitas novas chances que lhe são concedidas, ele acaba por atropelar um adolescente enquanto estava bêbado, o jovem fica paralítico e Peyton vai preso. O estranho nisso tudo é o comportamento da família de Sydney diante da situação, pois seus pais parecem que são capazes de tudo para continuar protegendo e mimando Peyton como se a culpa fosse do universo por tudo ter acontecido daquela maneira, e não do próprio garoto. Esse fato é o que começa a gerar a mudança, ou talvez, melhor dizendo, o desenvolvimento, da própria Sydney.

“Um fenômeno estranho acontece quando uma coisa deixa de ser um fato isolado para se tornar um hábito. Como se o problema já não fosse um visitante temporário, mas alguém que se mudou de vez para a sua casa.”

Sydney opta por mudar de escola, em parte porque sente que precisa de um novo começo e, em outra parte, porque sabe que sua escola particular é caríssima e tem consciência de que seus pais têm gastado fortunas por causa de Peyton. Nessa nova escola, ela conhece um outro estilo de vida, um mundo muito além do seu e, na minha opinião, é como se ela saísse de frente da TV para experimentar o mundo real em sons, cores, sabores e tato. E tudo começa, literalmente, com essa explosão de sentidos, tendo em vista que ela, após um primeiro dia de aula bem estranho, entra inadvertidamente na pizzaria da família Chattam, onde encontra uma pizza excepcional, mas também, amigos, amores e autoconhecimento.

“Vidas felizes, normais, em que tudo acontecia de maneira feliz e normal num mundo que podia ser tudo, menos feliz e normal. Depois que se toma consciência disso, que passamos por algo que torna isso claro como a água, não dá pra esquecer.”

Sarah tem um estilo de escrita muito incrível. Adorei a maneira como ela constrói a narrativa e a consistência de todos os personagens. Há uma questão desenvolvida na história que, nossa, fez meu estômago revirar de angústia incansáveis vezes. O que Sydney passa em termos de aflição e sensação de impotência e solidão é simplesmente apavorante, e a maneira como essa questão é retratada e tratada, no fim das contas, me deixou bem satisfeita, porque, queira ou não, é um aviso, um alerta, uma maneira de alcançar quem também se sente sem voz como Sydney e que muitas vezes não chega ao desfecho dela.

Além disso, preciso de um parágrafo só pra dizer: Deus, como eu queria que Mac e Lyla existissem no mundo real para fazerem parte da minha vida! MUITO AMOR por eles MESMO!

“Eu acho que não tem nada de vergonhoso em querer consertar as coisas. É melhor do que simplesmente aceitar o estrago.”

Apenas uma coisa me incomodou no livro, tive a impressão de ter encontrado pequenos errinhos de continuidade, bem como, o fato de alguns personagens ficarem desaparecidos por tempos e, com isso, algumas pontas ficarem soltas, me fez ficar um pouco desapontada. Mas também, só isso mesmo! Em geral, o livro é absolutamente lindo e maravilhoso.

“As relações evoluem, como as pessoas. Conhecer alguém não significa conhecer tudo sobre esse alguém.”

Os bons segredos é um livro cuja leitura é extremamente fluida e agradável, e que quando você acaba de ler, fica com vontade de mantê-lo entre os braços num abraço apertado e grato pela experiência da leitura!

Deixo vocês com algumas das quotes que marquei no livro, espero que gostem e que a resenha e esses trechos sejam o suficiente para despertar a curiosidade de vocês para a história!

 

“Pelo que eu estava aprendendo, ninguém era cem por cento ruim. Mesmo a pior das pessoas em algum momento teve alguém que a amasse.”

 

“Agora que eu era real e estava em primeiro plano para alguém, nunca mais queria ser invisível.”

 

“Apesar de passar muito tempo sozinha, eu já não estava só. Não mais.”

 

“O mais surpreendente não era o choro em si, mas o fato de eu ter chorado na frente de outras pessoas. Na verdade, só desabamos diante de quem sabemos que pode nos reconstruir.”

Beijos e até mais! 😉

 

Nota no Skoob: 4,3/5

Nota no Orelha de Livro: 5/5

MINHA Nota: 9/10

 

Resumo oficial:

Há segredos muito bons para serem guardados — e livros muito bons para serem esquecidos. Sydney sempre viveu à sombra do irmão mais velho, o queridinho da família. Até que ele causa um acidente por dirigir bêbado, deixando um garoto paraplégico, e vai parar na prisão. Sem a referência do irmão, a garota muda de escola e passa a questionar seu papel dentro da família e no mundo. Então ela conhece os Chatham. Inserida no círculo caótico e acolhedor dessa família, Sydney pela primeira vez encontra pessoas que finalmente parecem enxergá-la de verdade. Com uma série de personagens inesquecíveis e descrições gastronômicas de dar água na boca, Os bons segredos conta a história de uma garota que tenta encontrar seu lugar no mundo e acaba descobrindo a amizade, o amor e uma nova família no caminho.

 

Até mais, queridos!

Beijos,

Aninha.

 

10 Comentários para "Resenha literária: OS BONS SEGREDOS, de Sarah Dessen"

  1. Que livro interessante, agora fiquei curiosa para saber o que acontece com os personagens hahah. Ótima resenha!
    beijos

  2. Olá!

    Sou louca para ler algo da Sarah. Vejo inúmeros comentários positivos para suas obras, a cada novo comentário a vontade só aumenta. Espero gostar de suas histórias, empolgada eu já estou haha.

    Beijos,
    entreoculoselivros.blogspot.com.br

  3. Ultimamente tenho visto bastante essa autora por aí, adoro as capas, olha isso que coisa linda. É tão bom quando a gente encontra um autor/autora que arrebata a gente de amores né? Dá vontade de comprar tudo e ler de uma vez só hahaha. Eu adoro histórias simples e mais próximas da realidade, em certos gêneros, principalmente YA, não curto nada muito enfeitado. Gosto de ler uma história com a qual eu possa me identificar nem que seja por uma página.
    Sua resenha ficou maravilhosa, Aninha. Beijos!!

    ourbravenewblog.weebly.com

  4. O que acontece com os personagens? Que resenha maravilhosa !!! Agora é mais um livro para a lista porque eu quero descobrir o que acontece!!!!

  5. Não curto mais ya contemporâneo, mas confesso que Sarah Dessen é uma autora que até tenho interesse de ler no futuro, só que no momento eu tenho muito outros livros para ler e infelizmente ela ainda não me conquistou totalmente. Eu vou ter um clube do livro sobre o outro livro dela lançado aqui no Brasil e quem sabe depois esse clube do livro eu não me interessa mais pra começar a ler a autora.

  6. Parece ser uma história bem envolvente. É ótimo quando a gente consegue achar um autor(a) que amamamos né?? Fiquei assim, quando conheci o Dickens. Adorei a resenha, sempre parece que você tá conversando com a gente haha!! Beijos!!
    lendodesconhecidoblog.wordpress.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *