Resenha Literária: Jantar Secreto, de Raphael Montes

Companhia das Letras

Gênero: Literatura Nacional/Thriller/Suspense

 

“A ideia de fundo do poço é um tanto consoladora. Quando você acha que chegou lá, só pode subir. Acontece que o fundo não existe, sempre pode ser pior.”

Desde que li Dias Perfeitos (confira a resenha AQUI!), me apaixonei pela escrita de Raphael Montes e fiquei super entusiasmada com a publicação de Jantar Secreto, que me instigou no mesmo instante em que assisti ao booktrailer:

No entanto, para o desespero de um coração ansioso, não consegui ler o livro até o mês passado… Mas já adianto que a espera valeu a pena!

“Um sujeito estava andando pela rua quando deparou com um restaurante que vendia carne de gaivota. Pediu a carne, comeu foi pra casa e se matou. Por quê?”

Essa charada, parte de uma inocente brincadeira, desencadeia toda a trama de Jantar Secreto. A história é narrada por Dante, um jovem do interior do Paraná, recém-formado em administração, que vive no Rio de Janeiro com seus três amigos de infância: Miguel, Vitor Hugo e Leitão. Cada um com uma personalidade bem diferente, mas um problema em comum: dinheiro, ou melhor, a falta dele!

“Quando vim para o Rio, eu ainda sonhava em fazer a diferença no mundo. Agora já me dava por satisfeito se conseguisse pagar as contas e fechar o mês sem dívidas.”

“Aos dezenove anos é normal querer salvar o mundo, se sentir perdido na vida e ter que contar o dinheiro pra pagar uma garrafa de cerveja – tudo isso ao mesmo tempo.”

Em meio ao caos financeiro e impelidos pelo orgulho de não voltar para o interior com um diploma na mão e a derrota nos ombros, sentimento evidenciado principalmente pelo nosso narrador, os amigos começam a pensar em uma solução rápida para o problema. Vitor é um chef excelente – apesar de não ser muito agradável, e nem fazer questão disso –, Leitão conhece o ciberespaço como ninguém, então por que não oferecer jantares exóticos para pessoas ricas na internet? Esse é um negócio que tem tudo pra dar certo na opinião do administrador Dante, o problema é só a tal carne de gaivota que é o diferencial dessa empreitada. Nesse momento, vocês devem ter percebido de que tipo de carne eu tô falando aqui, não é? E é aí que Miguel, um médico super bacana e íntegro, é “obrigado” a colaborar com o projeto.

Raphael Montes, vegetariano declarado, faz dessa obra um convite para a reflexão. Por que nós temos tanta necessidade de consumir carne? Mas ele não seria Raphael Montes se fizesse isso de uma maneira enfadonha e militante, então ele utiliza o terror para, por meio de analogias, tocar na ferida.

“As pessoas toleram muito sofrimento em sua comida. Em nome do paladar, tudo é possível, meu amigo.”

Confesso que, apesar das descrições super detalhadas e aterrorizantes, não parei de consumir carne! Rs. Mas, segundo o próprio autor, não foi pra isso que ele resolveu escrever sobre esse assunto. Se ele conseguir te fazer pensar, já é um bom começo. E eu te digo: você vai pensar!

“A gente vive com uma dieta inconsistente, suavizada pelo sabor. Temos pena do porquinho e da vaquinha, mas adoramos um bom bife ancho. Meu pai já dizia que a beleza sempre ocorre no particular, enquanto a crueldade prefere a abstração.”

Mas o mais legal é que o livro não se resume a isso! Raphael decidiu, antes de qualquer coisa, escrever um livro sobre mim, e sobre você que faz parte da Geração Y… E aqui eu falo com propriedade, foi um corte preciso na alma!

Como não se identificar com Dante, um jovem sonhador que seguiu a cartilha direitinho? Estudou, estudou e estudou. Teve foco, fé e perseverança. Mas isso não lhe garantiu o futuro brilhante e promissor que imaginava…

Vai melhorar, uma voz interna me dizia. Insista, se dedique, estude e vai melhorar!

Eu insisti, me dediquei e estudei.

Voz mentirosa do caralho!”

E é aí que surge o questionamento: o que fazer quando tudo o que você planejou não acontece apesar de todos os seus esforços?

Não é fácil saber que, ainda que você seja um profissional capacitado e competente, não há espaço pra você no mercado de trabalho, simplesmente porque não tem espaço pra toda a Geração Y em um país devastado pela crise, causada pela ganância e pela corrupção.

“O sucesso só faz sentido quando se é jovem.”

Esse é justamente o “x” da questão abordado por Raphael. Fomos criados para obter SUCESSO! E a fórmula é apreendida de maneira tão simplista que nos leva à máxima de que tudo é alcançado pela maldita bendita meritocracia. Se você quer e se empenha, você pode ser o que quiser… E todo mundo só quer ser RICO!

Então, até que ponto o ser humano pode chegar por dinheiro? Como o poder que ele traz corrompe a alma e inverte os valores, ou simplesmente liberta aquele monstrinho interior que tá ali com a gente o tempo inteiro esperando uma única chance de mostrar suas garras?

Não é fácil ser adulto! Mais difícil ainda quando o orgulho e a arrogância são confundidos por você mesmo como determinação e persistência. E foi aí que o livro me conquistou de vez…

“Naquele momento, eu me sentia um sortudo. Havia um longo caminho pela frente, mas eu tinha dado o primeiro passo rumo a um futuro de sucesso. Conquistaria tudo o que havia para conquistar, seria rico, bem-sucedido e independente. Adeus, sociedade rural e preconceituosa! Adeus, mãe e suas indiretas! Ali era como se nada pudesse dar errado na minha vida.

Eu não poderia estar mais enganado.”

Com frases de banheiro, uma linguagem informal e reflexões interessantíssimas, Jantar Secreto revelou-se uma leitura deliciosa e surpreendente. Uma vez iniciada, é impossível parar antes de chegar ao final… E que final!! Raphael Montes se provou, mais uma vez, rei dos plots twists. Rs

 

Então, te convido, esta noite, a devorar Jantar Secreto. 😉

 

Sinopse Oficial:

Um grupo de jovens deixa uma pequena cidade no Paraná para viver no Rio de Janeiro. Eles alugam um apartamento em Copacabana e fazem o possível para pagar a faculdade e manter vivos seus sonhos de sucesso na capital fluminense. Mas o dinheiro está curto e o aluguel está vencido. Para sair do buraco e manter o apartamento, os amigos adotam uma estratégia heterodoxa: arrecadar fundos por meio de jantares secretos, divulgados pela internet para uma clientela exclusiva da elite carioca. No cardápio: carne humana. A partir daí, eles se envolvem numa espiral de crimes, descobrem uma rede de contrabando de corpos, matadouros clandestinos, grã-finos excêntricos e levam ao limite uma índole perversa que jamais imaginaram existir em cada um deles.

 

Nota no Skoob: 4,4/5

MINHA Nota: 9/10

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *