Resenha: Big Little Lies (Livro + Série)

*Pequenas Grandes Mentiras, de Liane Moriarty

Intrínseca

Gênero: Drama/Suspense

“Se exibisse no facebook como a sua vida era perfeita, talvez também começasse a acreditar.”

Best-seller do The New York Times, Pequenas Grandes Mentiras é um livro que estava na minha TBR há algum tempo, mas confesso que a notícia de que a série baseada na obra já havia estreado foi o que impulsionou a minha leitura. Porém, uma vez finalizada, o único pensamento que veio em minha mente foi: “Por que eu demorei tanto pra ler esse livro??? É simplesmente maravilhoso!”

Liane Moriarty conseguiu reunir tudo o que eu mais amo em um livro só de forma magistral, contando histórias cotidianas sem cair no clichê, ao mesmo tempo em que cria um mistério que nos deixa apreensivos do início ao fim e não nos deixa largar o livro por um só minuto.  

Tudo nessa vida tem um propósito, até mesmo torcer o tornozelo no seu aniversário de 40 anos! Foi assim que Madeline Martha Mackenzie conheceu Jane “sem nome do meio” Chapman. Não parecia possível que elas tivessem algo em comum, nem que suas vidas pudessem se cruzar de alguma maneira, mas ambas estavam indo com seus filhos para o dia da orientação da Escola Pública de Pirriwee.

Como toda amiga que se preza, Madeline tratou de apresentar Jane, recém chegada na cidade, a sua melhor amiga, Celeste, que tinha gêmeos da mesma idade de Chloe – a sensacional caçula de Madeline – e Ziggy – o adorável e doce filho único de Jane. Assim, de onde menos se esperava, surgiu uma grande amizade entre três mulheres completamente diferentes, cuja consequência não poderia ser mais surpreendente. “Ai, calamidade!”

Champanhe nunca é um erro. Esse sempre fora o mantra de Madeline.

Mas, depois, Madeline se perguntou se só daquela vez poderia ter sido um errinho de julgamento. Não porque estivessem bêbadas. Não estavam. Era porque quando as três entraram na escola, rindo juntas (…), deixaram um rastro do inconfundível cheiro de festa.

As pessoas nunca gostam de perder uma festa.”

Madeline é uma mulher forte, completamente passional, do tipo que não pode pressentir o mínimo indício de confusão que já quer instalar o caos. E, mais do que entrar em uma briga, ela ama ganhar um briga. Se envolver seus amigos então… Terceira Guerra Mundial é pouco! Rs. Ela é louca, mas extremamente divertida e carismática.   

Por trás dessa mulher cheia de personalidade, há o ressentimento extremo por seu ex-marido, Nathan, que a abandonou quando Abigail, sua filha de 14 anos, era apenas uma criança,  e hoje é o pai do ano para a pequena Skye – que, por ironia do destino, é coleguinha de Chloe na escola. Pra piorar tudo, Abigail, que na cabeça de Maddie deveria desprezar o pai, o adora e vê em sua madrasta Bonnie o modelo de mulher que deseja ser.

O que achei mais legal na narrativa de Moriarty é que, apesar de Madeline ainda estar presa ao passado pela dor, ela se permitiu construir um novo relacionamento e encontrou em Ed uma parceria sincera e repleta de carinho.

Já Jane é uma jovem que engravidou aos 19 anos de “um caso de uma noite só”. Desde então, se virou pra criar o pequeno Ziggy da melhor forma possível, mas sem criar raízes em nenhum lugar. Fica claro, desde o início, que a relutância de Jane em falar sobre o pai de Ziggy esconde um terrível abuso que marcou definitivamente a sua história.

“Ela pensara que a torrente furiosa de seu amor por aquela criaturinha de rosto vermelho e engraçado certamente afastaria a pequena lembrança suja daquela noite. Mas a lembrança ficou agarrada nas paredes da sua mente como sanguessugas nojentas.”

A vida de Jane, antes resumida ao seu filho e às lembranças de um trauma, vai ganhando cor e brilho ao lado de Madeline e Celeste e podemos vivenciar o poder de uma verdadeira amizade na vida de alguém tão quebrado.

(ESPAÇO)

“Ela poderia reduzir seus medos, transformá-los em atualizações de status inócuas que apareceriam na linha do tempo dos seus amigos.”

(ESPAÇO)

Celeste, por sua vez, é linda, estonteante, inteligente e rica! Têm gêmeos fofos e é casada com Perry, um homem que todas as mulheres do mundo matariam para ter. O que mais ela poderia querer? Ela é o estereótipo da perfeição, certo? Enfim… Quando tudo parecer perfeito demais, tenha medo! Esse casamento maravilhoso é marcado por uma violência física e emocional sem tamanho. 

“Talvez fosse até justo. Um pouco de violência não era muito a se pagar por uma vida que do contrário seria apenas perfeita de um jeito muito enjoativo, luxuoso e enluarado.”

“Era só um pequeno problema de relacionamento de resto perfeito. Toda relação tinha pequenos problemas. Seus altos e baixos.”

(ESPAÇO)

Um dos momentos mais brilhantes do livro são as partes destinadas a Celeste. A violência doméstica é vista sobre o ponto de vista da vítima de uma forma tão sensível que te desmonta. É triste saber que mulheres maravilhosas mundo a fora ficam presas em relações abusivas e ainda buscam justificativas pra isso, atribuindo a culpa a si mesma em determinados momentos. O crescimento e a mudança de mentalidade na cabeça de Celeste é algo que merece ser acompanhado pelo leitor com orgulho.

Não sei por quê…

Ela parou. Não sei por que eu fico. Não sei por que mereço isso. Não sei por que você faz isso, por que nós fazemos, por que isso continua acontecendo.”

(ESPAÇO)

As vítimas de violência doméstica muitas vezes não têm o aspecto que vocês esperam – disse Susi. – E suas histórias nem sempre soam preto no branco como seria de imaginar.”

“– Isso pode acontecer com qualquer um.”

Não posso deixar de acrescentar que a criança tem uma atenção especial nessa obra de Liane Moriarty. Ela traz à tona a questão do bullyng e deixa o questionamento: uma criança pode ser má graças à herança genética ou a alteração no comportamento infantil é um sintoma da dinâmica familiar? Afinal, se algo não vai bem, a criança com certeza será a mais atingida.

(ESPAÇO)

“…às vezes acho que posso ver uma coisa nos olhos dele que me lembra o pai, e penso: ‘E se meu lindo Ziggy tiver um lado cruel secreto? E se o meu filho fizer isso com uma garota um dia?’”

(ESPAÇO)

Pequenas Grandes Mentiras é sobre amizade, família, confiança… Intrigas, violência, paixão… Inocência, segredos, bullying… Amor, perdão, recomeço… É sobre ser MULHER, ser MÃE e, sobretudo, SER.

“– É porque toda a autoestima de uma mulher é baseada em sua aparência – disse Jane. – Por isso. É porque a gente vive em uma sociedade obcecada pela beleza, na qual a coisa mais importante que a mulher pode fazer é ser atraente para o homem.”

big-little-lies-Série

(ESPAÇO)

Em 19 de fevereiro desse ano, estreou na HBO a tão aguardada série baseada nessa obra de Liane Moriarty. “Big Little Lies” é estrelada por Reese Witherspoon, Nicole Kidman e Shailene Woodley, que interpretam, respectivamente,  Madeline, Celeste e Jane. 

Creio que a escolha das protagonistas não poderia ter sido mais acertada! No desenrolar da leitura eu já conseguia imaginá-las e quando comecei a assistir a série só confirmei minhas expectativas. Super afinado e em sintonia, o elenco é, sem dúvidas, o cargo chefe de uma série que já contava com uma ótima história para se basear.

OBS: Dentre as três, destaco ainda o trabalho de Reese Witherspoon, pois não poderia haver Madeline mais perfeita do que ela, gente! Rs

big_little_lies_posterDepois de algum tempo convivendo diariamente com um futuro cineasta, a gente aprende a aceitar que quando uma obra literária é adaptada, inevitavelmente, sofrerá algumas mudanças; mas isso não quer dizer que a gente não torça para que as modificações sejam mínimas (quase que insignificantes se possível! Rs). Infelizmente, esse não foi o caso de Big Little Lies! Não que a série tenha ficado ruim… Algumas alterações, como a retirada de alguns personagens e a introdução de outros, não me incomodaram muito. Por outro lado, a criação de situações que interferem na noção de caráter e na construção da personalidade de determinado personagem no intuito de jogar uma pitada extra de drama (em uma história que já está repleta disso) me deixa nervosa. Bem como a exploração de cenas de apelo sexual que eram brilhantemente subtendidas na trama original. Achei completamente desnecessário!

Como a série ainda não acabou, prometi a mim mesma que seria um pouco mais complacente até saber como será o desfecho. Espero ficar tão satisfeita com o roteiro quanto estou com a direção de fotografia e com a trilha musical! – Procurando as músicas em 3, 2, 1… Rs.

É importante destacar que a direção da série, que contará com 7 episódios apenas, fica a cargo de Jean-Marc Vallée (Clube de Compras Dallas) e a produção executiva conta com as próprias Reese Witherspoon e Nicole Kidman, que adquiriram os direitos de adaptação do livro de Moriarty em 2014 no intuito de transformá-lo em filme! Não é a toa que o pessoal do cinema dominou a televisão.

Dito isso, espero que vocês corram para ler Pequenas Grandes Mentiras e/ou assistam Big Little Lies, uma série repleta de personagens marcantes e atuações impecáveis, eleita por muitos como uma das melhores do momento. Vale a pena conferir! 😉

(ESPAÇO)

Sinopse Oficial (Livro):

Todos sabem, mas ainda não se elegeram os culpados. Enquanto o misterioso incidente se desdobra nas páginas de Pequenas grandes mentiras, acompanhamos a história de três mulheres, cada uma diante de sua encruzilhada particular.

Madeline é forte e passional. Separada, precisa lidar com o fato de que o ex e a nova mulher, além de terem matriculado a filhinha no mesmo jardim de infância da caçula de Madeline, parecem estar conquistando também sua filha mais velha. Celeste é dona de uma beleza estonteante. Com os filhos gêmeos entrando para a escola, ela e o marido bem-sucedido têm tudo para reinar entre os pais. Mas a realeza cobra seu preço, e ela não sabe se continua disposta a pagá-lo. Por fim, Jane, uma mãe solteira nova na cidade que guarda para si certas reservas com relação ao filho. Madeline e Celeste decidem fazer dela sua protegida, mas não têm ideia de quanto isso afetará a vida de todos.

Reunindo na mesma cena ex-maridos e segundas esposas, mães e filhas, bullying e escândalos domésticos, o novo romance de Liane Moriarty explora com habilidade os perigos das meias verdades que todos contamos o tempo inteiro.

Nota no Skoob: 4,5/5 

MINHA Nota: 4,8/5

(ESPAÇO)

Sinopse Oficial (Série):

Big Little Lies conta a história de três mães que se aproximam quando seus filhos passam a estudar juntos no jardim de infância. Até então, elas levam vidas aparentemente perfeitas, mas os acontecimentos que se desenrolam levam as três a extremos como assassinato e subversão.

Nota no IMDB:  8,5/10

Nota no Adoro Cinema: 4/5 

MINHA Nota: 4/5

(ESPAÇO)

Trailer: 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *