Os 7 Melhores Videoclipes Inspirados em Filmes

A ideia de fazer esse post veio de repente, quando eu estava escutando uma das músicas que não saem da playlist do meu celular. A música em questão era “The Universal”, de Blur, que sempre me lembrava de que eu tinha que assistir a “Laranja Mecânica”, um clássico do Stanley Kubrick. Até que, enfim, eu assisti ao filme e não me arrependi! Pensando nisso, resolvi listar alguns videoclipes inspirados em filmes para que eles pudessem, por sua vez, inspirar vocês, seja pela música em si, pela criatividade e verossimilhança com as obras a que se referem ou pelas próprias obras – marcos da história do cinema e que, se não foram vistos por você ainda, devem entrar na sua listinha!
The Universal – Blur (1995)

 Inspiração: Laranja Mecânica, de Stanley Kubrick (1971)
“The Universal”, como eu já disse, é uma das músicas que não saem do meu celular! Ela faz parte do álbum “The Great Escape”, de Blur, uma banda inglesa de rock alternativo.
O clipe da música é claramente inspirado no filme Laranja Mecânica (A Clockwork Orange), do aclamado diretor Stanley Kubrick.  O filme narra os crimes da gangue de Alex DeLarge, sua captura e a tentativa de reabilitação através do controverso condicionamento psicológico. Alex é um protagonista bem peculiar, pois é um sociopata sádico, aficionado por violência gratuita e que possui gostos refinados e clássicos – até mesmo no que diz respeito à música!
Damon Albarn, o vocalista da banda Blur, aparece no clipe tal qual Adam – com direito às expressões e sorrisinhos bizarros próprios do personagem –, enquanto o resto da banda representa os demais integrantes da sua gangue, os “drugues” (correspondente a “amigo”, “camarada” em russo). Elementos marcantes do filme são reproduzidos no videoclipe, vale a pena conferir!
Kiss Me – Sixpence None the Richer (1999)

Inspiração: Jules & Jim, de François Truffaut (1962)
“Kiss Me” por si só é uma música que já inspira; amo de paixão esse single da banda Sixpence None the Richer. Imagina então gravar o clipe em diversas locações em Paris? E melhor, fazendo um verdadeiro tributo ao cineasta François Truffaut! Aí ficou perfeito!
O filme escolhido pela banda foi Jules & Jim (Jules et Jim). Todas as cenas são inspiradas nesse clássico, que relata a amizade de dois homens e o amor de ambos pela mesma mulher. Vale destacar que a cena do corredor do Museu do Louvre, onde os três amigos apostam uma corrida, é fidedignamente reproduzida! Adorei!
Leigh Nash, a vocalista da banda, faz o papel de Catherine e, ao final do clipe, joga uma flor no túmulo de Truffaut, que fica no Cemitério de Montmartre. Confesso que me emocionei!

Mr. Brightside – The Killers (2005)


Inspiração: Moulin Rouge, de Baz Luhrmann (2001)

 

“Mr. Brightside” foi um dos singles álbum de estreia da banda The Killers e é outra música que não sai da playlist do meu celular! Pra completar a minha alegria, o videoclipe foi inspirado em um dos meus filmes preferidos: Moulin Rouge, musical dirigido por Baz Luhrmann – já perdi as contas de quantas vezes eu e Aninha o vimos! Rs.
A atmosfera burlesca do famoso cabaré é reproduzida no clipe, cujo foco central é ciúmes que toma conta de Brandon Flowers, vocalista da banda, apaixonado por uma prostituta. Nem preciso dizer o quanto isso é tão Christian e Satine, não é?
OBS.: O videoclipe conta com a participação super especial de Eric Roberts, o principal opositor de Brandon Flowers na disputa pela atenção da bela cortesã, interpretada pela modelo e atriz polonesa Isabella Miko.
Everybody Hurts – R.E.M. (1992)

Inspiração: 8 ½, de Federico Fellini (1963)

 

“Everybody Hurts” é uma das minhas músicas preferidas de R.E.M. É impossível escutá-la sem se sentir tocado de alguma maneira, não é por acaso que ela foi considerada a música mais triste do mundo! – Apesar de eu me sentir confortada com o “hold on”; ele realmente me faz querer continuar apesar das adversidades…
O clipe de “Everybody Hurts” é baseado na cena de abertura do filme franco-italiano  , dirigido pelo brilhante Federico Fellini. Tal filme é autobiográfico, com muitas cenas retiradas da vida do próprio diretor; inclusive, algumas foram concebidas através de seus sonhos. – O foco nos sonhos é algo tão presente no filme que a cena que inspirou o clipe de R.E.M. é um sonho do protagonista.
The Kill (Bury Me) – 30 Seconds To Mars (2005)

 Inspiração: O Iluminado, de Stanley Kubrick (1980)

 

“The Kill” é um single do segundo álbum da banda de rock alternativo 30 Seconds To Mars e é claro que Jared Leto, o vocalista da banda, traria para seus videoclipes influências cinematográficas, visto que além de cantar e ser lindo também atua – muito bem, por sinal! Tanto que já ganhou até Oscar e Globo de Ouro de Melhor Ator Coadjuvante por seu papel no filme Clube de Compras Dallas.
Mas o filme em questão aqui é outro: o famoso O Iluminado, classificado entre os maiores filmes de terror – muitos o consideram um dos maiores filmes de todos os tempos! – e dirigido por nada mais nada menos do que Stanley Kubrick, que aparece pela segunda vez aqui nesse post. Jack Nicholson dá um show ao interpretar Jack Torrance, um escritor e alcoólatra em recuperação que aceita um emprego como zelador fora de época de um hotel isolado chamado Hotel Overlook, no Colorado.  Ele vai para lá com a mulher e seu filho, mas o isolamento começa a lhe causar problemas mentais sérios e ele vai se tornado cada vez mais agressivo e perigoso.
No clipe, a banda recria o cenário e várias situações semelhantes às ocorridas no clássico de Kubrick, inclusive o quarto sinistro do filme que, ao invés de “237”, é o “6277” (os números correspondentes à palavra MARS no teclado do celular).
Tonight, Tonight – Smashing Pumpkins (1995)

Inspiração: Viagem à Lua, de George Méliès (1902)

 

Para o videoclipe da música “Tonight, Tonight” da banda de rock alternativo The Smashing Pumpkins, a inspiração foi a obra de George Méliès, Viagem à Lua (Le Voyage dans la Lune). A homenagem foi justíssima e o sucesso foi garantido! O clipe ganhou diversos prêmios – só no MTV Music Awards de 1996, foram 6! – e é considerado, por muitos, um dos melhores clipes da história.
O filme mudo francês de Meliès é tido como um patrimônio cultural e foi votado como um dos cem melhores filmes do século XX. Ele é considerado o primeiro filme de ficção científica e tem um ar cômico – não tem como não rir dos alienígenas que habitam a lua e que viram fumaça com um simples toque de guarda-chuva! É realmente uma pena que Meliès, o “pai dos efeitos especiais”, não tenha tido o merecido reconhecimento em vida…
Walk – Foo Fighters (2011)

Inspiração: Um Dia de Fúria, de Joel Schumacher (1993)

 

“Walk” foi o segundo single da banda de rock Foo Fighters e chegou a alcançar o número um na Billboard Rock Songs.
O filme que inspirou o clipe dessa música foi Um Dia de Fúria, estrelado por Michael Douglas no papel de William Foster, um divorciado e desempregado que, em meio a um congestionamento, chega ao seu limite e provoca uma agitação violenta em toda a cidade de Los Angeles, tentando alcançar a casa de sua ex-mulher a tempo para a festa de aniversário de sua filha. Ele reage às mais diversas situações como muitas vezes a gente tem vontade de fazer, mas só fica na nossa imaginação! Rs
Dave Grohl, o vocalista do Foo Figthers – e ex-bateirista do Nirvana – arrasa no clipe ao interpretar com muita comédia um revoltado a la Wiliam Foster, com direito a uma gravata idêntica à do personagem e tudo!!! Assistindo apenas ao trailer do filme já dá pra notar as referências extraídas para a realização do clipe – que ganhou o prêmio de Melhor vídeo de rock no MTV Video Music Awards em 2011.
BÔNUS:

All Over – Cruisr

Inspiração: Vários Clássicos do Cinema

 

Eu não poderia terminar esse post sem falar desse clipe incrível lançado no final do ano passado. Ele recria em animações várias cenas icônicas de clássicos do cinema! Quando eu assisti pela primeira vez fiquei boquiaberta! Palmas para Chris Carboni, diretor dessa belezura – que eu revi dezenas de vezes pra tentar reconhecer todas as referências… Tô tentando até hoje! Rs
O CRUISR começou a carreira em 2012 como projeto solo do vocalista Andy States, que depois convidou o guitarrista Bruno Catrambone, o baterista Jonathan Van Dine e o baixista Kyle Cook para formar uma banda. Só posso dizer que já amei o som deles e, só pela criatividade, dou nota 10!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *