Dica de Série: Luke Cage – 1ª Temporada

Luke Cage é a mais nova série da Marvel produzida pela Netflix. Estreou no dia 30 de setembro e desde lá rendeu diversas críticas, tanto positivas quanto negativas. Alguns disseram que, apesar de a série ter uma trilha sonora incrível, a ação demora de acontecer, outros disseram que foi um grande acerto da parceria entre a Marvel e a Netflix. Bem, em termos gerais, ambos os pontos de vista estão certos, e vou dizer por quê.

Na série, Luke Cage (Mike Colter) é um ex-policial que foi preso por conta de uma armação para incriminá-lo. Na cadeia, Cage passa por maus bocados e, em dado momento, à beira da morte, vê-se cobaia de um experimento que pode terminar de matá-lo ou salvar sua vida, é aí que ele ganha seus poderes: superforça e uma pele que coloca qualquer colete a prova de balas no chulé.

Marvel's Luke Cage

serie-luke-cage-netflix-20160225-003

A série se passa no Harlem, um bairro de Manhattam, na cidade de Nova York, em que a população é predominantemente negra e latina (e assim são os atores do elenco). Quando a série se inicia, Luke está em jornada dupla, trabalhando de dia numa barbearia (Pop’s Barber Shop) e à noite numa boate (Harlem’s Paradise), para conseguir pagar o aluguel do apartamento em que mora. Nesse primeiro momento, apenas quem sabe sobre os seus poderes no Harlem é Pop, o dono da barbearia em que ele trabalha.

Ocorre que o Harlem é dominado pela gangue liderada por Cornel ‘Cottonmouth’ Stokes (maravilhosamente interpretado por Mahershala Ali, o agente Boggs de Jogos Vorazes) e sua prima Mariah Dillard (Alfre Woodard). Cornel é o bandidão, que finge ser apenas um grande empresário dono do Harlem’s Paradise, mas todo mundo sabe que na verdade trafica armas. Mariah está envolvida em tudo isso até o pescoço, mas mantém sua pose fingindo ser apenas a City Counselor (o que para nós seria equivalente a vereadora).

A ação começa quando Luke Cage precisa deixar de ser apenas mais um homem trabalhador tentando pagar seu aluguel e passa a usar seus poderes, primeiro para ajudar os pupilos de Pop que se meteram em apuros com Cottonmouth e depois tentando salvar todo o Harlem do mafioso e sua gangue. Luke passa a não esconder mais os seus poderes e todo mundo toma conhecimento de quem ele é e do que ele é capaz de fazer, mas ainda não sabem da sua verdadeira identidade (Carl Lucas, um ex-policial que foi dado como morto, mas na verdade fugiu da prisão). É aí que, quando parece que ninguém é capaz de deter Luke Cage, aparece um novo vilão na história pra nos mostrar que não é bem assim e nos deixar desesperados. E não vou contar mais pra não dar spoiler.

Os personagens são incríveis e bem construídos, especialmente o Cottonmouth, como já deixei clara a preferência acima. Os mais chatos e menos interessantes para mim, creiam, são o próprio Luke Cage, pois achei que a atuação de Mike Colter foi bem falsa e forçada em alguns momentos, e a detetive Misty (Simone Missicky), que de tão fraca e chata nem mereceu menção no texto até agora. Adorei a participação da enfermeira Claire Temple (Rosario Dawson), que já esteve antes em Demolidor e Jessica Jones, agora em Luke Cage e ao que tudo indica também deve participar da série do Punho de Ferro. Tem também a Sônia Braga, interpretando a cubana mãe de Claire Temple, numa participação pequena, mas importante para o andamento da série (e legal de se ver sendo brasileiro rsrs).

luke-cage-mahershala-ali-cornell-cottonmouth-stokes_Netflix-brightened ... https://www.youtube.com/watch?v=0pSQOqwQTNw

Marvel's Luke Cage

Além disso, a série tem uma trilha sonora incrível, portanto, preste atenção em todos os artistas que se apresentam no palco do Harlem’s Paradise. A fotografia da série é hipnotizante e de alguma forma me lembrou até um pouco do clima de Bastardos Inglórios, ou alguma outra coisa do Tarantino (pode não ter nada a ver, mas foi a impressão que me deu). Mas, apesar de tudo isso, realmente, a série só ganha um ritmo melhor a partir do sexto episódio, por aí. Antes disso, as coisas parecem um pouco perdidas e arrastadas. Os flashbacks mostrando o tempo de Luke Cage na prisão são bem interessantes quando as coisas parecem um pouco perdidas na história que está se passando no Harlem.

Por fim, é isso. Mais um acerto da Marvel que só nos deixa mais ansiosos pela série dos Defensores, que vai reunir Luke Cage, Jessica Jones, Demolidor e Punho de Ferro, e pela própria série do Punho de Ferro. Para mim, Demolidor continua sendo a melhor série da parceria Marvel-Netflix de longe, depois vem Jessica Jones e então Luke Cage, mas são todas ótimas séries então pode ir sem medo, depois me conta o que achou. Fica a dica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *