5 novas cantoras POP empoderadas e talentosas

É tempo de música (sempre!), mas, especialmente, é tempo da nova geração de mulheres empoderadas e talentosas na música. E eu, que ando tão viciadinha nelas, não poderia deixar de dar essa super dica para vocês. Então fiz uma seleção de cantoras POP empoderadas que estão apenas começando e que você precisa começar a ouvir o quanto antes. Vamos lá?

Alessia Cara

Essa eu conheci através da nossa queridíssima co-autora Aninha e serei eternamente grata por este presente. Alessia Cara é simplesmente maravilhosa! Uma garotinha canadense miúda de vinte anos de idade com uma voz incrível e músicas tão boas que nunca dão vontade de parar de ouvir. Deixo como dica, Scars To Your Beautiful (cicatrizes para a sua beleza), que nada mais é do que um hino ao amor-próprio e à autoaceitação.

Dua Lipa

Dua foi mesmo um achado na minha vida. Ela ainda não tinha lançado um disco próprio, apenas alguns singles, como Blow Your Mind e a música Be The One com Martin Garrix, e, de repente, eu já estava viciada na voz dela, aguardando ansiosamente a estreia do seu álbum. Não à toa, antes mesmo de lançar seu álbum, ela já tinha sido considerada uma das cantoras mais promissoras da atualidade.

Ela é inglesa e tem apenas vinte e dois anos, mas uma voz mega potente e músicas com letras que são puro girl power. Como escolhida para indicar a vocês, deixo New Rules, um outro hino à autovalorização e ao amor-próprio. Quer se livrar daquele relacionamento com um boy lixo? Siga essas regras!

Halsey

Conheci Halsey (infelizmente não foi pessoalmente, risos) depois que ela veio para o Lollapalooza Brasil 2016 e foi paixão à primeira ouvida (trocadilho ridículo, porém real). Provavelmente a artista que mais ouvi em 2016. Ela tem vinte e dois anos de idade e é pura atitude. Desagradou muita gente ao posar nua (capa da Playboy de setembro/outubro 2017) e hoje mesmo deu uma declaração polêmica ao chamar de visionário o fundador da Playboy (Hugh Hefner, que faleceu ontem), mas, afinal de contas, o direito de decidir o que fazer com o próprio corpo faz parte do feminismo.

Halsey, que é americana e, na verdade, se chama Ahsley (seu nome artístico é um anagrama do seu nome de registro), é feminista assumida, bissexual e tem diagnóstico de transtorno bipolar. Ela tem dois álbuns, o primeiro é Badlands, que define como um “angry feminist record” (registro feminista irritado), ressaltando que ele é o retrato de sua experiência de vida, envolvendo relacionamentos, feminismo, juventude e sua doença; e o segundo é Hopeless Fountain Kingdom, que foi lançado em julho deste ano e é altamente viciante, como o primeiro. Deixo como dica, Bad At love, música do segundo álbum.

Hailee Stenfield

Americana de apenas 20 anos, Hailee já recebeu indicação ao Oscar de melhor atriz coadjuvante por seu papel de Mattie Ross no filme True Gift, também tendo feito outros filmes como Pitch Perfect 2 e Mesmo Se Nada Der Certo (que tem resenha aqui no blog), mas é como cantora que venho indica-la pra vocês. Hailee diz que tem orgulho de ser feminista e tem músicas que demonstram isso claramente, como Love Myself e Most Girls. Deixo Love Myself como indicação.

Zara Larsson

Zara é sueca, polêmica, feminista convicta e está confirmada como atração no line up do Lollapalooza 2016 (quero ir!!!). Ela tem apenas 19 anos, mas já venceu a versão sueca do programa Got Talent e já está arrasando no cenário da música pop. Como indicação, deixo Ain’t My Fault, música mega viciante que deixa bastante explícito o quanto Zara é fã de Rihanna (risos).

B-Bônus: Beyoncé

Ela não é novinha muito menos novidade, mas, se é pra falar do feminismo no cenário pop, a Queen B não pode ficar de fora. Como ela dispensa apresentações, vou apenas deixar o hino Flawless aqui pra vocês.


Então é isso. Espero que tenham gostado da indicação. Deixei uma música de cada cantora para vocês conhecerem, mas podem (devem) procurar outras músicas que o sucesso é garantido. <3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *